Lembranças 104 

Salário do brasileiro recua pela 1ª vez em 11 anos, diz IBGE
Publicado em 2017-01-03 11:13:21




 

 
 
O salário real do trabalhador brasileiro recuou de R$ 1.950 em 2014 para R$ 1.853 em 2015, de acordo com a Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio) 2015, divulgada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) nesta sexta-feira (25).
 
Também houve diminuição dos rendimentos das aposentadorias, de benefícios sociais, de trabalhadores domésticos e a renda familiar no geral.
 
No caso das aposentadorias, recebimento de aluguéis, juros, benefícios sociais, o rendimento médio em 2014 havia sido de R$ 1.845. Em 2015, diminuiu para R$ 1.746, o que representa uma queda de 5,4%). No caso dos empregados e trabalhadores domésticos, a média dos rendimentos no ano passado foi de R$ 1.832, quase 2% a menos que os R$ 1.867 registrados em 2014.
 
A renda das famílias, que o IBGE chama de "domicílios particulares permanentes", também está menor. Em 2015, foi de R$ 3.186, um recuo de 7,5% em relação a 2014, quando esse valor havia sido de R$ 3.443.
 
O rendimento médio real caiu para todo mundo, mas há ao menos uma notícia boa: a desigualdade de salários entre homens e mulheres diminuiu. Os homens de 15 anos de idade ou mais ganharam, em média, R$ 2.058, enquanto as mulheres da mesma faixa etária receberam, em média, R$ 1.567.
 
Proporcionamente, as mulheres ganharam 76,1% do rendimento dos homens em 2015 — um aumento de 1,6 ponto percentual em relação a 2014, quando essa relação foi de 74,5%. Em 2014, homens receberam, em média, R$ 2.184, enquanto as mulheres ganharam R$ 1.627.
 
População ocupada
 
Outro dado relevante apresentado pela pesquisa é a redução da população ocupada — primeira queda dos últimos 11 anos. Na passagem de 2014 para 2015, o mercado de trabalho perdeu cerca de 3,8 milhões de pessoas. O pior caso é o da indústria, que registrou a maior perda, de cerca de um milhão de ocupados a menos.
 
Em relação a 2014, a participação dos empregados entre os ocupados caiu de 61,3% para 60,6%, enquanto a dos conta-própria cresceu de 21,4% para 23,0%. Além disso, 2 milhões de ocupados deixaram de contribuir para a previdência.
 
O mercado de trabalho mostrou, ainda, aumento de 38,1% da população desocupada (mais 2,8 milhões de pessoas), que chegou a 10 milhões de pessoas de 15 anos ou mais de idade em 2015.
 
Fonte: r7.com


<< Notícia anterior              Próxima notícia >>

 

 


Rádio FAMA noticias




Rádio FAMALEGRE FM 104,5
Rua Vila Machado, 117 - Centro - Alegre (ES)
Contatos: (28) 3552-1996 (comercial) / 3552-0836 (ouvinte)
© 2005-2013 - Todos os direitos reservados
www.fama104.com.br